Eu

Eu

O Cidadão:

José Besteiro, colheita de 66, casado, 2 filhos.

Nascido no cais da Alfredo da Costa, Lisboa, criado nos areais da Costa de Caparica.

Separa a vida pessoal da profissional, dizendo às pessoas para não levarem o Joe Best muito a sério, faz torradas e tostas numa frigideira, tem tatuagens e usa brincos nas orelhas, às vezes um que diz “SEX” e diz milhares de disparates por ano nas redes sociais.

Não tem religião nem partido político definido, apesar de se auto-proclamar (isto ainda leva hífen?) revolucionário.

O Profissional:

Cozinha de autor. 31 anos no mercado do food&beverage.

Criador das suas próprias receitas e regras de cozinhar, na sua forma mais empírica, autodidacta, estudioso e curioso de todo o universo da comida, sempre na procura de novas criações a partir de ingredientes que movem e despertam paixões, mas também na busca incessante de proteínas, ervas, raízes, frutos e vegetais mais desconhecidos do grande público. Procura a excelência na arquitectura do sabor.

Sem cursos superiores nem formação específica para lá de barman e empregado de mesa, estabeleceu com a cozinha, na década de 90, uma relação de profunda paixão e entrega, criando assim a sua segunda pele. Isto apesar de cozinhar desde os 8 anos, de forma regular.
Regressou à escola aos 44 anos para lhe serem averbadas competências na área, conseguindo que as mesmas fossem certificadas com diploma legal, vendo assim reconhecido o seu árduo trabalho de 30 anos em prol do bom serviço e gastronomia, para nacionais e estrangeiros.

Se gostar muito de um prato de outra pessoa, reproduz a sua visão do mesmo sem nunca esconder de onde bebe a inspiração do momento.

Como diz um amigo –  “Joe, tens uma panela de pressão no cérebro!”

 

Ana Besteiro