PalácioInk, comida&tatuagens – 2ª Edição

Abr 23, 2012 by

Começam a ganhar raízes, os eventos que tenho realizado ao longo de 3 anos do projecto daCozinha nas redes sociais e mais forma ainda, desde que o oficializámos através deste site. As repetições de alguns, como o caso da Francesinha by Joe Best, o TwittFavas ou a Taberna Portuguesa Revisitada, são alguns exemplos.

O evento de Sábado, que juntou o tatuador Guilherme Araújo, Guitattoo para os amigos, a tatuar all day quase non stop e eu a cozinhar em show cooking como se não houvesse amanhã, atingiu o ponto de loucura, animação e mais uma vez uma rede social ao vivo, juntando igualmente gente que não se conhecia de todo, ou que se conhecia apenas no mundo virtual. O tema era colorir corpos e comida e a missão foi comprida e cumprida!

 

 

(Em estreia! As pimentinhas da Mme.Best e o rolling pin e a faca daCozinha)

Surpreendente a adesão ao evento e se alguém pensava que haveria alguma relutância e preconceito em relação ao binómio comida/tatuagens, esfumou-se antes de nascer…tendo a montanha parido um rato.

Perante o rompimento da barreira oito@mesa, dez@mesa e doze@mesa, o evento passou a banquete volante e show cooking.

Vieram amigos e amigos de amigos, veio um fã daCozinha emigrante na África do Sul, um amigo holandês e veio também a food blogger Ishay Govender Ypma, em digressão europeia, com uma honrosa e orgulhosa paragem em Portugal para nos conhecermos em carne e osso.

Esperavámos também a visita do chef Alexandre Silva do restaurante Bocca, mas uma corvina de parede a parede e o evento Peixe em Lisboa, não lhe deram tréguas.

Começámos com sangria branca e um Vale de Grous tinto, uma chapata gigante, feita pela Mme. Best, queijo e manteiga caseira e manteiga caseira com marmelada dos Açores, a que se seguiu uma corrida desenfreada ao sushi que preparei como entrada, na forma de makis e nigiris. Houve uma estreia no sushi de Sábado, a introdução de falsos caviares tais como garum de salmonete, spirulina e tinta de lula.

 

 

 

 

 

 

Seguiram-se alguns woks orientais e de inspiração mediterrânica e o piano de cores foi o mote, pintando algumas das criações a tinta de lula, mais uma vez…

 

 

 

E para finalizar os pratos principais, temperei uma tábua enorme com pimenta e alecrim, flor de sal e raspa de laranja, cortei uma barriga de porco super estaladiça aos bocados e numa sertã estalei 3 pimentas em banha de ganso: preta, branca e da terra.  Refresquei com vinho do Porto rosé e parti lá para dentro uma tablete de chocolate preto e deixei derreter, criando assim um molho diferente. Foi o degredo. Apetite aguçado e eis os convivas à volta da ilha da cozinha!

(foto de Yshay Govender Ypma)

Para acabar, criei ao momento a base da sobremesa, adicionando ao restante molho de chocolate e pimentas do porco assado, uma embalagem de sour cream e açúcar mascavado. Já tinha preparado à tarde uma mousse de amendoim, com a pasta que trouxe da loja do Chen, da Almirante Reis.

Chamei-lhe The Fat Lady Sings, porque foi o nome que me ocorreu quando olhei para o estranho desenho que fiz nas ardósias…

E foi isto. Inesquecível. Provavelmente vamos repetir em Setembro, aquando da convenção de tattoos em Lisboa.

Take my love,

Joe Best

 

 

 

 

Leave a Reply

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Pode usar estas etiquetas HTML e atributos: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>